bernard-hermant-663480-unsplash

Funcionária conta e checa manualmente as embalagens nas prateleiras de um supermercado. Foto: Bernard Hermant


Em janeiro deste ano, antes do lançamento do aguardado Amazon Go – o primeiro supermercado completamente equipado com câmeras inteligentes no mundo – a Amazon organizou um teste da loja para repórteres dos principais veículos de imprensa mundiais.

A fim de testar a eficácia das câmeras inteligentes, um repórter do New York Times tentou furtar uma lata de refrigerante do supermercado.

Como a loja opera sem nenhum funcionário, ninguém pôde impedir o repórter de sair do estabelecimento com a lata escondida na mochila. Porém, ao chegar em casa, ele descobriu que a lata furtada havia sido debitada do seu cartão de crédito.

Graças à inteligência artificial, as câmeras foram capazes não só de captar as imagens do furto, como também de reconhecer em tempo real que se tratava de um furto e de identificar quem estava cometendo a infração. Para entrar na loja, todos os repórteres foram escaneados pelas câmeras e tiveram suas contas na Amazon identificadas. Dessa forma, foi possível encontrar o repórter infrator e debitar de seu cartão de crédito o valor do item furtado.

A segurança no varejo vai mudar drasticamente graças às câmeras inteligentes. Hoje, a maioria das lojas contrata pessoas e emprega câmeras tradicionais para supervisionar os estabelecimentos. Mas a tarefa de pegar em flagrante e identificar furtos é extremamente difícil – estima-se que, somente no ano de 2016, os supermercados brasileiros tenham perdido mais de 7 bilhões de reais com furtos.

Um par de olhos pode supervisionar alguns clientes, mas tem suas limitações: humanos são sujeitos a distrações, cansaço e julgamentos ruins. Já uma câmera tradicional pode captar as imagens que comprovariam um furto, mas não pode fazer muito além disso – sem a presença de um cérebro humano para analisar a imagem e interferir no processo, câmeras tradicionais raras vezes conseguem impedir ou prevenir essas infrações.

Câmeras inteligentes, ao unir o poder visual e a objetividade das câmeras tradicionais com a capacidade analítica de um cérebro humano, apresentam-se como a alternativa mais eficaz para revolucionar a segurança no varejo.

O experimento do primeiro Amazon Go foi um sucesso. Nessa semana, foi aberta na cidade de Seattle, nos EUA, a segundo loja da franquia.

 

Câmeras inteligentes controlando o estoque

Não só na segurança e na prevenção de furtos podem atuar as câmeras inteligentes. Dotadas da capacidade de captar imagens e analisá-las em tempo real, essas câmeras podem cumprir o papel de dezenas de operadores humanos.

Câmeras inteligentes podem escanear prateleiras de lojas e analisar todos os seus produtos, identificando a presença ou ausência de certos itens e se as embalagens estão rompidas ou quebradas, realizando, assim, o monitoramento em tempo real das condições do estoque da loja.

É possível que um gerente administre o estoque de várias lojas em locais diferentes graças aos relatórios de controle gerados em tempo real pelas câmeras inteligentes. Esses relatórios são muito mais precisos e velozes do que os relatórios gerados por pessoas, o que resulta no aumento da eficiência e da competitividade do negócio.


As câmeras da MVISIA

A tecnologia de câmeras inteligentes já está sendo aplicada no varejo no Brasil, e a MVISIA fabrica câmeras personalizadas para todo tipo de empresa.

Quer saber como nossas câmeras inteligentes feitas sob medida impactariam o seu negócio?

Acesse o nosso site (http://mvisia.com.br/index.html) e entre em contato conosco para conhecer nossas soluções!

Escrito por MVISIA

A MVisia desenvolve máquinas e sistemas baseados em visão computacional e inteligência artificial para qualificação de produtos agrícolas.